Nos principais países do mundo, até 2004, os investimentos em Medição Inteligente focaram apenas na leitura remota. A partir de 2005, diante da projeção de crescimento exponencial de demanda por energia elétrica, temáticas como estabelecimento de metas de eficiência energética e diminuição dos gases de efeito estufa fizeram com que uma nova abordagem tomasse conta da agenda, o conceito de Smart Grid foi consolidado.

A partir disso, os investimentos voltaram-se para a alavancagem de novas tecnologias que verdadeiramente transformaram o setor de distribuição de energia elétrica. A Medição Inteligente (AMI), então, tornou-se a base para a criação das redes elétricas inteligentes.

Além dos tradicionais requisitos de leitura, corte e religação remotos, outras diversas funcionalidades tomaram conta do mercado, elevando o grau de complexidade das soluções que foram disponibilizadas. Informações de tensão e corrente em tempo real, informação sobre falta de energia, gestão de perdas não técnicas por meio de IoT e o estabelecimento de novas modalidades tarifárias são apenas alguns dos exemplos.

No Brasil, especificamente, viabilizar a implantação das medições inteligentes em larga escala, de modo a suportar futuras redes e cidades inteligentes, tem sido o grande desafio de todos os agentes do setor elétrico.

Diante desse cenário, as perdas não técnicas têm sido o grande alvo de fornecedores e desenvolvedores de soluções no combate a fraudes e furtos de energia elétrica. E, nesse contexto, nos posicionamos como um ator de destaque com elevada expertise e capacidade técnica para o constante desenvolvimento de inovações tecnológicas.

A recente expansão do mercado de IoT torna ainda mais fundamental o desenvolvimento das redes de medição de energia elétrica inteligentes. Segundo projeções da Cisco, nos próximos anos, haverá mais de 50 bilhões de dispositivos conectados em todo o mundo. A necessidade de fornecimento de energia será peça-chave para a manutenção de cidades inteligentes, carros autônomos, industrias digitalizadas, sistemas de saúde inteligentes, entre muitos outros.

Cientes dessa nova realidade e das grandes oportunidades que surgem dela, posicionamos nossas diretrizes e investimentos de modo plenamente compatível com a produção de tecnologia de ponta, antecipando demandas do setor de energia elétrico brasileiro e internacional.

Colocamo-nos, portanto, como parceiros estratégicos para a consolidação da onda de transformação digital que está apenas começando, mas que certamente impactará o mundo em patamares nunca antes experimentados.